07 abril 2016

Origem da (minha) Família Carvalho



Portugal (1646)



Gonçalo Simões, nasceu na freguesia de Macieira, no concelho de Lousada, onde foi batizado em 17 de novembro de 1624, faleceu em 21 de outubro de 1704.
Domingas Gaspar, foi batizada na freguesia de Silvares, aos 29 de fevereiro de 1624 e faleceu em 24 de outubro de 1662.

Gonçalo Simões casou-se com Domingas Gaspar em Silvares, em abril de 1646,

Carvalho (Quercus robur)


Fixaram residência “em o lugar de Carvalho”, na freguesia de Silvares, Lousada, distrito do Porto, onde atualmente temos a via pública, denominada rua  do Carvalho, servindo como referência dos tempos de outrora, onde existia possivelmente uma grande árvore de Carvalho. 

 
Rua do Carvalho - Lousada - Portugal

Tiveram um filho o qual deram o nome de João Carvalho, em homenagem ao Carvalho que servia de referência na região.

Curiosidade da família é que antes do João, a antigas gerações usavam o primeiro nome do pai como sobrenome dos filhos, portanto o sobrenome ia mudando naturalmente.*
Assim temos como marco inicial deste ramo da família Carvalho,  o qual posteriormente firmou raízes no Brasil, no início do século XVII, e que acabou se desdobrando em um dos ramos das “Três Ilhoas” de Minas Gerais.


1.º (Carvalho) - João Carvalho casou em 29 de junho de 1687 com Domingas Duarte, e tiveram dentre outros, dois filhos que posteriormente vieram colonizar o Brasil, sendo eles: Manoel Carvalho Duarte, batizado em São Miguel de Silvares, distrito do Porto, em 19 de setembro de 1692 e Caetano Carvalho Duarte, batizado na freguesia de Silvares, concelho de Lousada, distrito do Porto em 24 de dezembro de 1702.

Os irmãos Manoel Carvalho Duarte e Caetano Carvalho Duarte, imigraram para o Brasil no início do século XVII, vindo a se estabelecer em São Miguel de Cajurú, MG.

Brasil (século XVII)

 
2.º (Carvalho) - Caetano de Carvalho Duarte. Caetano casou-se com Catarina, em 3 de novembro de 1737 (Catarina de São José, filha de Manoel Gonçalves da Fonseca e de Antonia da Graça, (3 Ilhoas de Minas Gerais). Foram proprietários da Fazenda Cajuru (Engenho dos Carvalhos), em São Miguel do Cajuru, MG, onde viveram.



"Catarina de São José, natural da Freguesia de N. Sra das Angustias, Vila de Horta, Fayal, veio de sua terra com 2 anos (....) com 15 anos tratou de seu casamento com Caetano de Carvalho Duarte, batizado na Freguesia de São Miguel de Silvares (...)" - GUIMARÃES, José, As Três Ilhoas, vol 1º, fls 298



(RM: Paróquias de São João Del Rei, óbitos):
Aos vinte e trez de Dezembro de mil setecentos e oitenta e quatro faleceo com todos os Sacramentos = Caetano de Carvalho Duarte casado com Catherina de São José = foi encomendado e acompanhado e sepultado dentro da ordem terceira de São Francisco desta villa: fez testamento. O Coadjor Joaquim Pinto da Silveira.

Aos trinta de Julho de mil setecentos e oitenta e sete faleceo com todos os Sacramentos= Catherina de São José viúva de Caetano de Carvalho Duarte foi encomendada e acompanhada e sepultada dentro da Venerável ordem terceira de São Francisco desta villa na forma de seu testamento. O Coadjor Joaquim Pinto da Silveira.



"O testamento de Caetano não foi encontrado. O de Catarina, ditado em São Miguel do Cajuru aos 28-06-1787, foi transcrito no livro de testamentos de São João del Rei (neste site) e no livro de assentos paroquiais. Nele ela declarou sua naturalidade, filiação. Deixou legados para várias netas e nomeou os treze filhos": Fonte: http://www.projetocompartilhar.org/Familia/CarvalhoDuarte.htm



O casal Carvalho Duarte, concebeu treze filhos, sendo eles: Antonio de Carvalho Duarte, 2º Florência Maria de São José, 3ºTereza Maria Duarte, 4º Manoel de Carvalho Duarte, 5º João de Carvalho Duarte, 6º Francisco de Carvalho Duarte, 7º Caetano de Carvalho Duarte, 8º José de Carvalho Duarte, 9º Maria de Carvalho Duarte, 10 Ana Maria Duarte, 11 Caetana Maria Duarte, 12 Domingas Maria Duarte, e 13 Ana Maria de Jesus.


Testamento-

“Eu Catarina de São José.....filha legitima de Manoel Gonçalves da Fonseca e de Antonia da Graça, natural e batizada na Freguesia de Nossa Senhora das Angustias da Ilha do Fayal, Bispado de Angra. Residente na Fazenda do Cajurú. Freguesia da Vila de São João Del Rei, estando de cama e bastantemente doente faço este meu testamento.......
Primeiro Testamenteiro, meu filho Manoel de Carvalho Duarte. Segundo, meu filho Francisco de Carvalho. Terceiro meu filho Caetano de Carvalho.
Declaro que fiquei viúva por falecimento de meu marido Caetano de Carvalho de cujo matrimonio tenho 13 filhos a saber: Antonio, Manoel, João, Francisco, Caetano, José, Maria, Ana, Caetana, Florência, Teresa, Domingas e outra Ana.
Legados:
-Aos netos Maria e Ana, filhas de José, 50.000 a cada uma;
-A neta Teresa, filha de Teresa, 50.000;
-As netas Maria e Ana filhas de Caetano de Carvalho, 50.000 a cada uma;
-A neta Teresa, filha de Domingas, 50.000
- A minha afilhada Margarida, filha do compadre Manoel Domingues – 50.000.
A meu rogo peço que assine a meu genro Antonio Corria de Noronha.....Cajurú a 28 de junho de (1787?).
Escrito por Manoel Jose (Chavez?).

Abertura – A 30 de junho de 1787.
Fonte: http://www.projetocompartilhar.org/DocsMgAF/catarinadesaojose1787.htm



3.º (Carvalho) - Caetano de Carvalho Duarte, 7º filho de Caetano de Carvalho Duarte e Catarina de São José, casou aos 18/06/1783 na capela Sta. Ana do Barroso, com Ana Maria Joaquina.


O casal Carvalho Duarte, concebeu oito filhos, sendo eles: 1º Maria Vicência Duarte, 2º Ana Joaquina de Carvalho, 3º Felisbina (ou Felizarda) Umbelina do Sacramento, 4º Joaquina Carlota, 5º Francisca Bernardina de Paula, 6º Felicia Felisbina, 7º Manoel Joaquim de Carvalho, e 8º João Gualberto de Carvalho.


4.º (Carvalho) - João Gualberto de Carvalho (8º filho) - 1º Barão de Cajurú, por Decreto Imperial de 30/6/1860, João Gualberto de Carvalho, era Juiz de Paz, Tenente Coronel da Guarda Nacional (Comandante da GN de Turvo) e Comendador da Ordem de Cristo e da Imperial Ordem da Rosa. Nasceu em 1797 e foi batizado neste mesmo ano, na Paróquia de São João Del Rei.

João Gualberto de Carvalho
  
O Barão era filho de Caetano de Carvalho Duarte e de Ana Maria Joaquina.
Ainda moço, transferiu-se para a região de Aiuruoca onde, em 1821, foi eleito Mesário da Irmandade do Santíssimo Sacramento. Casou-se, em 1824, com Ana Inácia Conceição Ribeiro do Vale (Baronesa de Cajurú), nascida a 24/8/1804.


Desta união nasceram onze filhos, sendo eles: 1º Manoel Ribeiro de Carvalho, 2º Maria Brazilina da Conceição, 3º Militão Honório de Carvalho (2º Barão de Cajuru), 4º Ignacio Caetano de Carvalho, 5º Libania Jesuina da Conceição (Viscondessa de Arantes), 6º João Pedro de Carvalho, 7º Guilhermina Cândida de Carvalho (Baronesa de São João del Rei), 8º Custódio Ribeiro de Carvalho, 9º Anastácio, 10 Constança Ricardina de Carvalho, e 11 José Ribeiro de Carvalho.


*
*   *



Fazenda São Lourenço, fachada principal - foto: Instituto Estadual do Patrimônio Cultural -RJ

"Em 1859, a Fazenda São Lourenço foi adquirida pelo então comendador João Gualberto de Carvalho, que no ano seguinte foi agraciado com o título de primeiro barão de Cajuru. Sobre a concessão de tão importante título, tem-se uma curiosa transcrição6 do atestado de probidade passado a favor do comendador João Gualberto de Carvalho, enviado ao Imperador Pedro II, em 1860: “Nós, abaixo-assinados atestamos que o comendador João Gualberto de Carvalho, natural da Província de Minas Geraes e residente no Município de Aiuruóca, é um cidadão prestante, distinto por seu patriotismo e probidade, respeitável pai de numerosa família, rico negociante e capitalista, proprietário de muitos bens de raís, entre os quais se inclui a importante Fazenda de cultura denominada S. Lourenço, sita na Província do Rio de Janeiro, que há pouco comprou; e que por estas razões o consideramos muito merecedor de um Título, ou qualquer mercê honorífica que S.M. O Imperador se digne conferir-lhe. Rio de Janeiro, 9 de Junho de 1860 Herculano Ferreira Penna visconde de Ipanema visconde do Bonfim Jerônimo José de Mesquita” Tudo indica que o barão de Cajurú nunca residiu em São Lourenço, possuindo-a apenas como empreendimento agrícola. Residiu grande parte de sua vida na Fazenda das Bicas, no município do Turvo (atual AndrelândiaMG), adquirida por volta de 1830. A enorme distância que separa as duas fazendas não era problema para o barão, que, além de cafeicultor, era negociante de muares. Viajava pelas estradas do Vale constantemente. Estava entre os maiores criadores de muares do Império. Conta a tradição que, nessa atividade tão lucrativa, possuía posição tão privilegiada que a grande feira de Sorocaba, o mais importante centro de vendas e leilões de animais de então, não era oficialmente aberta enquanto o “sisudo” barão não chegasse com sua enorme tropa. O barão de Cajuru faleceu em 21 de fevereiro de 1869. Logo após a sua morte, a Fazenda São Lourenço foi herdada por seus três filhos, que durante alguns anos formaram uma sociedade na fazenda denominada “Carvalho & Irmãos”. Desfeita a sociedade, a Fazenda São Lourenço passou a ser unicamente do filho herdeiro José Ribeiro de Carvalho, casado com Luísa Leite de Carvalho."
Fonte: http://www.institutocidadeviva.org.br/inventarios/sistema/wp-content/uploads/2009/11/11_saolourenco.pdf

Fazenda São Lourenço.
Ornamento em forma de medalhão,
retratando em relevo a figura de D. Pedro II


5.º (Carvalho) - José Ribeiro de Carvalho (11 filho), nascido a 21 de maio de 1848 e falecido a 6 de julho de 1896. Foi casado com Luísa Leite Ribeiro (filha de Francisco Leite Ribeiro, neta de Anastácio Leite Ribeiro e Maria Esméria do Sacramento, bisneta do casal: José Leite Ribeiro e Escolástica Maria de Jesus Moraes. Esta última descendente direta das primeiras famílias que povoaram São Paulo, incluindo Balthazar de Moraes de Antas).

José Ribeiro de Carvalho

(pesq. Plinio U. M. de Carvalho) LDS Andrelandia, MG Igreja N Sra do Porto da Salvação - A quatro de Junho de mil oitocentos e quarenta e oito pus os Santos Óleos a José, fl. de João Gualberto de Carvalho e de Anna Ignácia da Conceição, baptizada em casa por Manoel Ribeiro de Carvalho, por necessidade e nascido de quinze dias. Do que para constar.......


O casal Carvalho, concebeu cinco filhos, sendo eles: 1º Ana de Carvalho, 2º Luisa de Carvalho, 3º Mário Leite de Carvalho, 4º Hôrtencia de Carvalho e 5º Márcia de Carvalho.


Certidão de Casamento de José Ribeiro de Carvalho e Luísa Leite Ribeiro
Créditos pesquisa: Flávio Mário de Carvalho Filho.

"José Ribeiro de Carvalho era casado com Luiza Leite Ribeiro, filha de Francisco Leite Ribeiro e neta do famoso Comendador Anastácio Leite Ribeiro, um dos mais importantes fazendeiros locais e benemérito de Conservatória e de Valença. A demanda com a irmã Anna Elisa era porque esta, e o marido, donos de Santa Bárbara (junto com outros parentes), ocupavam uma parte das terras de São Lourenço, embora admitissem isso. Em contra partida, o irmão, dono de São Lourenço, também admitia que ocupasse terras da irmã e do cunhado em Santa Bárbara."
Fonte: http://www.institutocidadeviva.org.br/inventarios/sistema/wp-content/uploads/2009/11/5_santa-barbara.pdf


6.º (Carvalho) - Mário Leite de Carvalho (6º filho), nascido a 05 de maio de 1881, casado com Emília Gonçalves Quintão.


Mário Leite de Carvalho 



O casal Carvalho, concebeu seis filhos, sendo eles: 1º Maria José de Carvalho, 2º Lincoln Frederico de Carvalho, 3º Milton Guilherme de Carvalho, 4º José Olinto de Carvalho, 5º Flávio Mário de Carvalho e 6º Vera Consuelo de Carvalho.


7.º (Carvalho) - Milton Guilherme de Carvalho (3º filho), natural do Rio de Janeiro -RJ, nascido a 30 de setembro de 1911, casado com Maria Virgínia Borges de Lima, natural de Pernambuco, filha de Sebastião Corrêa Lima e Virgínia Borges de Lima.

Milton Guilherme de Carvalho e Maria Vírgina Borges de Carvalho
 O casal Carvalho, concebeu quatro filhos, sendo eles: 1º Isa Borges de Carvalho, 2º Carlos Frederico Borges de Carvalho, 3º Mário Guilherme de Carvalho, e 4º Celso Olyntho de Carvalho.


8.º (Carvalho) - Carlos Frederico Borges de Carvalho (2º filho), natural de Lavras do Sul-RS, nascido a 01 de março de 1941, casado com Maria Madalena de Oliveira, natural de Jacarezinho-PR, filha de Antônio Rodrigues de Oliveira e Ana Maria do Espírito Santo.

Carlos Frederico Borges de Carvalho
 

O casal Carvalho, concebeu três filhos, sendo eles: 1º Milton Guaraci de Carvalho, 2º Carla Jurema de Carvalho e 3º Claudio Frederico de Carvalho.


9.º (Carvalho) - Claudio Frederico de Carvalho (3º filho), nascido a 14 de julho de 1969, casado com Viviane Guerra.

Inspetor Frederico, ingressou na carreira da Guarda Municipal em 19/03/1992, na função de Guarda Municipal de 3ª Classe. Foi promovido a Supervisor em 26/06/2000. Ascendeu a função de Inspetor em 14/07/2004. Comandou a Guarda Municipal de Curitiba entre janeiro de 2013 a dezembro de 2015.

Inspetor Frederico

Formou-se em Direito pela Universidade Tuiuti do Paraná, no ano de 1997. Atuou como Membro do Corpo de Jurados do 2º Tribunal do Júri de Curitiba (2007 a 2011). Exerceu a atividade de Conciliador no Núcleo de Conciliação do Fórum Civil da Comarca de Curitiba (2010 a 2011).
Atualmente é Membro da Comissão Própria de Avaliação da Escola da Magistratura do Paraná, Curitiba/PR, desde 2012.
Exerce a Tutoria nos cursos on-line da SENASP/EAD, desde 2010,
É Conselheiro da Associação dos Servidores Públicos do Estado do Paraná-ASPP, desde 2005.
Autor de algumas obras focadas nas áreas do Direito a da Segurança Pública Municipal.

Homenagens Militares:
Honra ao Mérito - Batalhão de Polícia do Exército de Brasília - Brasília – DF (15/05/90).
Diploma Águia - Titulo de Águia - 1ª Companhia de Polícia - BPEB - Brasília – DF (15/05/90).
Menção Honrosa - Polícia Militar do Paraná – Comando do Policiamento da Capital - Curitiba – PR (06/11/04).
Diploma “Colaborador Emérito do Exército” – Comando Militar do Sul (25/08/2013).
Diploma “Amigo do Vinte” – 20º Batalhão de Infantaria Blindado (20/10/2013).
Medalha “Batalhão Sargento Max Wolff Filho” – 20º Batalhão de Infantaria Blindado (03/10/2014).

Homenagens Civis:
Professor Homenageado representando o Departamento da Guarda Municipal de Curitiba, prestada pela XII Turma de Formação Guardas Municipais – Curitiba – PR (2004).
Paraninfo do Curso de Formação Técnico-Profissional para Guarda Municipal, Curitiba – PR (09/06/05).
Professor Homenageado, prestado pelos Alunos da XIV Turma de Formação Guardas Municipais – Curitiba – PR (2005).
Patrono do Curso de Formação Técnico Profissional da Primeira Turma da Guarda Municipal de Campo Largo – PR (17/12/08).
Voto de Louvor e Congratulações, face ao ato de bravura prestado a comunidade, em defesa do Patrimônio Público desta Capital - Câmara Municipal de Curitiba – PR (20/04/11).
Menção Honrosa – Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (29/11/2013).
Menção Honrosa – Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (16/06/2014).
Diploma de Reconhecimento – Grande Oriente do Paraná – GOP (08/10/2014).



10. (Carvalho) - Lucas Frederico de Carvalho (filho único), nascido a 28 de novembro de 1998.

(https://www.myheritage.com.br/site-family-tree-133186041/frederico)
***

Origem da família Carvalho

A família Carvalho teve sua origem em Portugual e é uma das 72 famílias da alta nobreza do país. Ele tem origem toponímica, ou seja, de origem geográfica. Este é um sobrenome que existe desde o século XII.
Em documentos antigos, nos primeiros registros foi encontrado o nome Cavalio. A família Carvalho tem solar no antigo Morgado de Carvalho, em Coimbra fundado por D. Bartolomeu Domingues, Concelho de Penacova, nas famosas serras do Carvalho, pai de D. Soeiro Gomes de Carvalho.
O primeiro indivíduo que se destacou dos demais através do uso deste nome provavelmente morava próximo a um carvalho que por sua altura, servia de referência na região ou pelos atributos da planta em comparação ao indivíduo. O carvalho é uma árvore muito conhecida pelo seu grande porte. No Brasil, é comum encontrar bastante dessas espécies.
Curiosidades
A árvore do carvalho que deu origem ao sobrenome é uma espécie que possui mais de 300 derivações. Ela é também muito resistente e por isso é bastante utilizada na construção civil e marcenaria. Por este fato, ela passou a ser muito valiosa comercialmente.


Fonte: http://www.origemdosobrenome.com/familia-carvalho/

***

Agradecimento Especial


*Ao primo Flávio Mário de Carvalho Júnior, que muito contribuiu para a conclusão desta pesquisa, em especial fornecendo as informações fundamentais, para manter todos os dados completos, com nomes, fotos, fatos e datas.
Meus sinceros agradecimentos.

Fonte de Pesquisa:
1). http://www.projetocompartilhar.org/Familia/CarvalhoDuarte.htm,
2). http://www.genealogiahistoria.com.br/index_genealogia.asp?categoria=2&categoria2=1&subcategoria=31
3). https://pt.wikipedia.org/wiki/Tr%C3%AAs_Ilhoas
4). http://www.origemdosobrenome.com/familia-carvalho/





Um comentário:

Muito obrigado pela sua contribuição.
Inspetor Frederico

Onde Encontrar os Livros? Clik no Banner

Fale Conosco

Assunto do contato
Nome
E-mail
Mensagem
Cidade
Estado



http://www.linkws.com